*Quem planta, colhe.

Na Idade Média se praticava uma modalidade de agricultura chamada ¨rotação trienal¨. O objetivo era dividir um campo de cultivo em três partes, utilizando-as para diferentes culturas de forma rotativa para melhor aproveitamento do solo e, consequentemente, maior produção de frutos e hortaliças.

No final das contas o sistema era tão eficiente que migrou até os dias de hoje.
É comum nas grandes fazendas presenciar o cultivo de 2 gêneros enquanto o restante da terra descansa. Na safra seguinte a terra mais descansada recebe a lavoura enquanto a que produziu dorme.

A questão é que, de uns tempos pra cá, o tal sistema invadiu as grandes cidades e tomou conta do asfalto. É isso mesmo, migrou da roça para os grandes centros.

Como? É assim: aqui na megalópole um sujeito está saindo com 4 mulheres ao mesmo tempo. Vamos chamá-las de 1, 2, 3 e 4. Enquanto ele dá mais atenção para a 1, rega a 2 com torpedos de celular, a 3 com e-mails e a 4 com msn.

Quando a mulher 1 começa a se envolver e querer algo mais sério pois entrou na época de colheita, ele pega a produção e dá uma sumida, deixa ela descansando e parte pra 2.

Como ele é esperto e sabe que não dá pra prever o dia de amanhã, continua regando a 1 esporadicamente dizendo, ou melhor, semeando a moça, com a fala ¨ficou muito sério, calma, eu não estou pronto para uma relação mas me espera porque eu te acho especial!¨.
E a coitada fica lá, esperando aquele trator voltar para a sua vida para mexer com a sua cabeça.

Enquanto isso a mulher 2 fica no céu, pensa que valeu a pena a espera, que ele percebeu que ela era a pessoa certa e que a felicidade até existe.
Mas de repente ele se cansa da 2 e vai investir na 3 enquanto a mulher 4 espera pacientemente a sua vez, saindo com o ex de vez em quando pra quebrar a ansiedade.

Quem decide o tempo que o processo de rotação urbano vai durar, é ele. Até que ele decida qual das mulheres já descansou bastante a sua terra, qual foi invadida por um fazendeiro vizinho ou qual ficou lá esperando um pouco de água para regar suas esperanças.
Dependendo do agricultor o processo pode nem ter fim, apenas mudar de fazenda.

O problema é que no final das contas quem vai colher os frutos é a mulher 5. Uma fulana sem graça que ele conheceu por acidente e virou a cabeça dele por não fazer a menor questão de esperar pela colheita de um simples pepino.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s